• Cenagri Jr.

Os Pilares do Manejo Integrado de Pragas

Atualizado: Out 7

Atualmente as lavouras estão sendo muito afetadas por pragas e doenças, fatores que influenciam na produtividade de qualquer cultivo. É por esse motivo que o Manejo Integrado de Pragas (MIP) tem ganhado destaque e vem se tornando tão popular.


O MIP é um sistema de manejo que envolve o ambiente e a população de praga, utilizando todas as técnicas apropriadas e adequadas para cada cultivo, com o intuito de manter o controle e estabilização da população.


É feito um planejamento com diversas medidas para diminuir o uso de agrotóxicos na produção, sempre em busca de promover o equilíbrio no solo, nas plantas e no ecossistema; Isso não quer dizer que o uso de defensivos não será feito, mas sim que ele será utilizado como último recurso, quando o nível de população da praga estiver atingindo o nível de dano econômico, ou seja, o nível em que as perdas de produção estejam gerando prejuízos econômicos significativos para o produtor.


O MIP não tem como objetivo a erradicação da praga, mas sim a redução de sua população, de modo que seus inimigos naturais permaneçam na lavoura agindo sob suas presas, proporcionando a volta do equilíbrio natural do sistema.


Chamamos as medidas que podem ser implementadas de “pilares do MIP”, que são o que chamamos de estratégia de controle; essas medidas estão inseridas em um alicerce que guia a tomada de decisão de qual pilastra se adequa melhor para sua área.




Os alicerces são:


Taxonomia ou Identificação


Amostragem

Uma amostragem bem feita é essencial para indicar a quantidade real de insetos presentes na lavoura, além de servir como parâmetro para que possam ser respeitados os níveis de ação de pragas.


Mortalidade natural no ecossistema

Morte das pragas sem que haja algum agente de controle externo envolvido, o próprio ecossistema se encarrega dessa tarefa.


Já os pilares são:


1) Controle Cultural

Pode ser feito com algumas técnicas mais simples e de fácil implementação, como a rotação de culturas e eliminando possíveis soqueiras, rebrotas e tigueiras que podem estar em campo.


2) Controle biológico

É realizado através da preservação dos inimigos naturais de determinada praga na lavoura. Vale ressaltar que ter áreas de reserva natural ao redor eleva a eficácia desse método.


3) Controle comportamental

Através de um estudo e conhecimento da praga em questão, é possível usar armadilhas para a captura do inseto, além de plantas repelentes em torno do cultivar.


4) Controle genético

Pode ser realizado através da liberação de machos estéreis, impedindo a procriação de indivíduos aptos, resultando em consequente queda de população.


5) Controle varietal

É o uso de cultivares resistentes às pragas, resultando em queda de sua população, consequentemente.


6) Controle químico

É o uso de defensivos agrícolas para realização do controle.


É importante ressaltar que é de extrema importância consultar um profissional na área para que o uso do inseticida seja especifico para a praga em questão, sem que haja a esterilização do campo e promoção de inimigos secundários se tornando primários.



Referências:

Franzoni, Maiara. Tudo que você precisa saber sobre manejo integrado de pragas. Disponível em: <https://bit.ly/2wBna6C>

Ramos, Marina. Controlando pragas e cuidando do meio ambiente. Disponível em <https://bit.ly/2UVPg6c>

Garcia, G. L. Embrapa mostra a importância do manejo integrado de pragas na AgriShow Disponível em <https://bit.ly/2WHwxjO>

Gostou desse conteúdo e tem interesse em implementar o MIP na sua produção* ou precisa de ajuda com sua lavoura?

Entre em contato com nossa empresa, temos o projeto ideal para sua realidade!

Fone: (11) 97024-1811

  • Ícone do Facebook Preto
  • Ícone do Instagram Preto
  • LinkedIn - Black Circle
contato-whatsapp-cenagrijr-consultoria-agricola.png