top of page
  • Foto do escritorCenagri Jr.

Greening: A doença mais prejudicial para os citros no Brasil

Greening, também conhecido como huanglongbing (HLB), é uma doença que afeta principalmente citros e é considerada a principal ameaça à produção de frutas cítricas no Brasil e em todo o mundo. A doença é causada pela bactéria Candidatus Liberibacter spp., que é transmitida pelo psílideo Diaphorina citri. A doença também pode se espalhar por meio de técnicas de enxertia e mudas contaminadas.


Diaphorina citri: Fundecitrus


Sintomas


Os sintomas do greening podem ser observados ao longo do ano, com maior incidência entre o final do verão e o início da primavera. No começo, é comum ver ramos com folhas amareladas e manchadas. O manchado se manifesta com marcas irregulares nas folhas que variam entre o amarelo e o verde sem simetria entre as duas metades. Folhas afetadas tendem a cair, e novas brotações com folhas verticais como "orelhas de coelho" surgem em seu lugar. Em casos graves, a nervura da folha pode ficar grossa, clara e áspera.

Manchado ou mosqueado da folha: Fundecitrus


Os frutos de ramos com sinais de greening não madurecem corretamente, apresentam uma coloração verde claro com manchas e caem prematuramente. Eles geralmente são deformados, pequenos e assimétricos em relação ao centro do fruto. Na região de conexão com o caule, há uma coloração alaranjada. Ao cortar o fruto, é possível ver filetes alaranjados a partir da região do caule, sementes abortadas e uma casca interna mais espessa que a de um fruto saudável. O suco dos frutos com doença tem gosto mais ácido, menos doce e mais amargo.


Em plantas novas, a árvore fica toda comprometida em um ou dois anos. Plantas mais velhas podem levar de três a cinco anos para serem tomadas pelos sintomas.

Fruto com sintomas de greening: Fundecitrus


Manejo


Uma pergunta comum sobre o tema é se é viável erradicar a doença dos pomares brasileiros. A resposta é não, devido à ampla disseminação e prevalência da doença nos pomares. No entanto, é possível reduzir a incidência e, especialmente, os danos causados pelo greening, com medidas como:

  • Eliminação rigorosa de plantas com sintomas - Sem plantas onde o psilídeo possa se contaminar, não haverá transmissão da bactéria. O cumprimento da legislação atual sobre o greening (IN Nº 53, de 16 de Outubro de 2008) é crucial para o sucesso no manejo da doença, e apenas com a eliminação das plantas será possível o uso racional de inseticidas para controlar o vetor.


  • Manejo Regional da doença (manejo em grandes áreas) - como o psilídeo tem alta mobilidade, o controle do vetor em grandes áreas é uma das opções para reduzir essa mobilidade e consequentemente a transmissão das bactérias.


  • Controle rigoroso do inseto vetor - esse assunto está ligado à eliminação rigorosa de plantas com sintomas. Quanto menor a prevalência da doença, menor será o esforço no controle do psilídeo. No entanto, o uso de inseticidas para controlar o vetor pode ajudar a reduzir a prevalência do greening, mas não é a solução para o problema. O uso indiscriminado de agroquímicos tem aumentado a prevalência de pragas anteriormente consideradas secundárias, além de preocupações crescentes sobre resistência, contaminação ambiental e humana, e a eliminação de inimigos naturais.


  • Esforços sincronizados e Cooperação - são a base para o sucesso no manejo regional. Para ter sucesso no manejo do psilídeo, o controle deve ser sincronizado e realizado conjuntamente entre proprietários vizinhos.


No entanto, o sucesso no manejo do greening só será alcançado com a combinação e adoção de todas as estratégias disponíveis. O controle apenas centrado na eliminação do psilídeo não será suficiente para reduzir a prevalência da doença. Além disso, todos os citricultores devem eliminar as plantas com sintomas nas propriedades para diminuir a transmissão das bactérias relacionadas.



 

Referências


 











תגובות


  • Ícone do Facebook Preto
  • Ícone do Instagram Preto
  • LinkedIn - Black Circle
contato-whatsapp-cenagrijr-consultoria-agricola.png
bottom of page