• Cenagri Jr.

Ecofisiologia Vegetal

O Brasil, sendo portador de uma alta diversidade de espécies vegetais em diferentes biomas, requer, cada vez mais, estudos e análises comparativas que compreendam a área da fisiologia, anatomia e ecologia, a fim de alcançar um conhecimento maior a respeito do funcionamento, entre outros aspectos das plantas. Dessa forma, tais estudos vêm sendo aplicados dentro do campo da ecofisologia vegetal.


Também conhecida como fisiologia ambiental, esta área estuda as estruturas e os processos vitais que acontecem dentro do sistema das plantas, abordando questões desde o metabolismo e desenvolvimento vegetal, até a reprodução. Muitas vezes, é considerada interdisciplinar, pois realiza analises comunicativas entre espécies; correlacionando a evolução e o comportamento de animais e vegetais.

A ecofisiologia avança rapidamente como ciência, pois os diferentes sistemas ecológicos causam alterações nos mecanismos fisiológicos e morfológicos dos seres vivos, sendo necessário, uma área que interprete cuidadosamente tais eventos, para que possamos entender o desenvolvimento ambiental e prováveis situações futuras. Segundo o professor do Departamento de Melhoramento Vegetal da FCA/UNESP, Dr. Marcelo de Almeida Silva, tais efeitos distintos causados pelo ambiente sobre as espécies vegetais, são provenientes da interação entre esses dois organismos e podem ser considerados benéficos ou prejudiciais.


Desta forma, a ecofisiologia realiza procedimentos analíticos e investiga o comportamento fisiológico em diversas condições ambientais, levando em conta mudanças permanentes ou gradativas e naturais ou antrópicas, buscando estudar fatores que interfiram na biodiversidade e no desenvolvimento natural da planta. Complementando o assunto, o professor Marcelo de Almeida diz que esses fatores apresentam diferentes magnitudes e estão em função da espécie, do genótipo, da fase fenológica de desenvolvimento, da intensidade e do tipo do fator ambiental, principalmente.

Ainda dentro do tema da ecofisiologia vegetal, Marcelo ressaltou duas áreas muito utilizadas a respeito das alterações nos sistemas vegetais, causadas pelo ambiente:

“Para entendermos essas diferenças utilizamos os conhecimentos e estudos em fisiologia comparativa e em fisiologia evolutiva. A fisiologia vegetal comparativa analisa os efeitos entre e dentro das espécies sob determinada condição ambiental, como o próprio termo diz, compara o desempenho do vegetal, e está envolvida no processo de aclimatação da(s) espécie(s). A fisiologia evolutiva analisa os efeitos da mudança do ambiente (natural ou antrópica) ao longo do tempo na adaptação da(s) espécie(s), ou seja, quais alterações fisiológica, metabólicas e bioquímicas foram ocorrendo na espécie para permitir sua sobrevivência, sendo essas alterações são regidas pela genética, portanto relacionadas à evolução do vegetal.”


Agrademos ao Professor Dr. Marcelo de Almeida Silva, docente da FCA/UNESP pelo auxílio na produção deste texto.

Referências:

HOFFMANN, W.,FRANCO, A. A importância da história evolutiva em estudos de ecofisiologia vegetal: exemplos dos cerrados e florestas do Brasil Central. Disponível em: <http://bit.ly/2WeCwfK>

RIBEIRO, K. Ecofisiologia. Disponível em: <http://bit.ly/2WUxylv>

Gostou desse conteúdo e tem interesse em saber como está a qualidade do seu solo ou precisa de ajuda com sua lavoura?

Entre em contato com nossa empresa, temos o projeto ideal para sua realidade!

Fone: (14) 99821-7197



  • Ícone do Facebook Preto
  • Ícone do Instagram Preto
  • LinkedIn - Black Circle

Avenida Universitária, nº 3780 - Altos do paraíso

Botucatu - SP

Sítio Modelo

(11) 97024-1811
(11) 98351-3265

  • Facebook - Círculo Branco
  • LinkedIn - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle