• Cenagri Jr.

Agricultura Regenerativa: O Futuro já chegou

No presente momento, a agricultura intensiva ou tradicional é responsável pela maior produtividade e contribuição ao mercado agrícola e alimentício, porém impactando diretamente no ecossistema, como as mudanças climáticas, perda de biodiversidade e degradação de terras agrícolas têm atingido escala global. A humanidade está enfrentando enormes desafios ambientais que estão intimamente relacionados à forma como usamos nossas terras e a forma com a qual conservamos sua integridade. Nossas práticas atuais de manejo ameaçam a resiliência e fertilidade do solo para produção de commodities que atendam a demanda global, conforme a demanda por alimento cresce, caminhando em conjunto com o crescimento populacional. Tendo em vista essas problemáticas, é importante buscar soluções que impactem minimizando e ou solucionem por completo essas problemáticas, e esse é o caso da agricultura regenerativa que prioriza a sustentabilidade ambiental e a saúde humana.

A agricultura regenerativa utiliza de diferentes técnicas agrícolas visando reabilitar e conservar os sistemas agrícolas e alimentares. Em relação ao campo o foco está na regeneração do solo diminuindo a perca de nutrientes e água, tornando o mais estável e, , impactando diretamente na biodiversidade e teor microbiano no solo,. A regeneração da agricultura deve levar em conta, além dos aspectos econômicos, as questões ecológicas e éticas.

A agricultura regenerativa tem sua base na agricultura orgânica, priorizando as práticas de saúde do solo e gestão da terra.



Dentre essas características, alguma delas influenciam em outras áreas de forma indireta como o caso de ajudar na situação climática. Segundo pesquisadores, a agricultura regenerativa pode ajudar a reverter as mudanças climáticas. Algumas práticas, como arar o solo para o plantio, essa emissão ocorre naturalmente, o ato de arar a terra só facilita devido ao revolvimento e a perca da microbiota, essa ação, porém também impacta diretamente nos C fixados no solo por mineralização, que não estão disponíveis para a planta.

CO2é um dos principais gases de efeito estufa. Esse carbono quando liberado impacta no aumento do efeito estufa e a fertilidade do solo, pois o mesmo contribui diretamente na disponibilidade de nutrientes e composição física.

Em conjunto com a agricultura regenerativa, já existem técnicas que a colocam em prática, como o plantio direto e o cultivo de orgânicos, com enfoque no plantio direto que leva no pé da letra o mínimo revolvimento do solo.

Por conseguinte, a pesar de pouco divulgado, o Brasil já tem vários produtores utilizando essa técnica, se tornando referência mundial na agricultura encontra-se o Brasil. O país tem adotado diferentes práticas que além de serem sustentáveis, têm ajudado a aumentar a produtividade da terra. Cumprindo os objetivos, a agricultura regenerativa no Brasil reduz a emissão de gases de efeito estufa assim como de fertilizantes químicos e faz um uso adequado da água. Desta maneira, aumenta a capacidade das fazendas brasileiras de se adaptarem obtendo uma produção diversificada de alimentos.

O Brasil apresenta uma ampla prática no plantio direto, facilitando o cuidado e conservação do solo, pois consiste em fazer uma mínima perturbação no solo no momento da sementeira. Como não revolvem a terra e na rotação de culturas os resíduos da colheita anterior são mantidos, está prática protege a terra, conservando a umidade e a biodiversidade. Além do solo, outro elemento fundamental na agricultura regenerativa no Brasil é a água. Por isso, um bom sistema de irrigação no campo permite o uso racional e conservação da água.

Um sistema de produção desenvolvido na agricultura regenerativa brasileira foi a Integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF). Na mesma área, se produz alimento, fibra, madeira e até mesmo energia, aumentando assim a produtividade, estas estratégias fazem um uso racional da água e dos fertilizantes nos campos, as técnicas de agricultura regenerativa no Brasil permitem fazer um melhor uso da terra e, por conseguinte aumentar a produtividade com uma grande produção de alimentos diversificados o ano tudo em diferentes regiões do país.

O país tem adotado diferentes práticas que além de serem sustentáveis, têm ajudado a aumentar a produtividade da terra fortalecendo a agricultura regenerativa no Brasil e consequentemente, reduzindo a emissão de gases de efeito estufa assim como o uso de fertilizantes químicos. Preparando a agricultura brasileira para o futuro agrícola e alimentício.

No quesito plantio direto, Brasil apresenta uma ampla prática pois é uma prática que adota aspectos muito bem fomentados na agricultura, como a adubação de cobertura e o mínimo revolvimento do solo no ato, além de colocar em prática a rotação de cultura, , está prática protege a terra, conservando a umidade e a biodiversidade. Além do solo, outro elemento fundamental na agricultura regenerativa no Brasil é a água. Por isso, um bom sistema de irrigação no campo permite o uso racional e conservação da água.



  • Ícone do Facebook Preto
  • Ícone do Instagram Preto
  • LinkedIn - Black Circle
contato-whatsapp-cenagrijr-consultoria-agricola.png